Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Post-it`s da Joana

Notas, recados, listas, pensamentos, opiniões, desabafos...

Post-it`s da Joana

Notas, recados, listas, pensamentos, opiniões, desabafos...

 

Bem sei que nunca falo muito de Amor aqui, por um lado porque tenho a certeza que é um assunto que não domino muito bem e por outro porque também não sei ser lamechas o suficiente, como o próprio tema o exige.

Mas há já algum tempo que ando aqui com este assunto em mente.

Um dia destes em conversa com uma amiga ela dizia-me assim:

 

(falando acerca do marido dela)

 

Ela: Ele não me completa.

Eu: (.......)

Ela: Entendes?! ele não me completa como mulher...entendes o que quero dizer?

Eu: Não. sinceramente não.

Ela: como não? Tu não és casada, mas já namoraste...sabes do que falo.

Eu: Desculpa, mas nunca concordei muito com essa expressão. Não acho que seja um homem, um namorado ou marido que venha completar algo. Pode acrescentar sim, mas completar não. Essa frase dá-me sempre a ideia que nos falta alguma coisa; que não funcionamos na plenitude das nossas capacidades se não tivermos um gajo!

Ela:Mas não achas que uma mulher é um ser humano melhor com uma pessoa que a complete?!

Eu: Se a felicidade dessa mulher depender exclusivamente de um homem,sim!!!!

Ela: ok!!

Eu:E agora pára de usar essa expressão por favor!

 

 

E a conversa ainda continuou um pouco mais....

 

Mas o que eu quero dizer com este post, é que aquela expressão para mim não faz sentido. Faz parecer que a Mulher é um ser menor, ou menos capaz, que necessita inevitavelmente de algo ou de alguém que termine o que ficou inacabado. Como que se de um membro do corpo se tratasse. 

A meu ver, e acreditem que sou bastante leiga no assunto, quer um homem quer uma mulher têm de ter valor pelo que realmente são, sentem e pensam. Se encontram na outra pessoa uma forma de realçar estes valores, muito bem. Caso contrário, vivem debaixo de uma sombra que tentam desesperadamente acompanhar.

Continuo a achar que nas relações, tendemos sempre a nos diminuir. Há uma certa tendência para colocar "naquela" pessoa todo o nosso único alvo de atingir a felicidade na vida. Com franqueza, digam-me: isto não deveria ser assim pois não!?

Ou então esqueçam!Se calhar sou eu que sou estranha!

 

 

Beijinhos bons a todos 

 

 

 

35 comentários

Comentar post

Pág. 1/2